Fisioterapia, um diagnóstico completo

Desemprego, a oportunidade para desenvolver seu negócio
16 de março de 2016
Paisagismo e Jardinagem em Sorocaba
24 de março de 2016
Exibir tudo

Fisioterapia, um diagnóstico completo

Um bom tratamento de fisioterapia depende de um bom diagnóstico

O cuidado com a postura, seja quando você está parado em pé ou esperando um ônibus, trabalhando sentado ou até mesmo praticando qualquer atividade esportiva, é imprescindível. A postura que temos em cada momento, não é fixa. Entenderemos isso se pensarmos que quando estamos sentados em uma cadeira confortável temos uma postura mais relaxada, em um cadeira dura uma postura mais rígida, estas mesmas variações ocorre se estivermos de pé em um ônibus lotado ou vazio, e até mesmo quando se corre em um piso regular ou irregular.

Veja que a postura nada mais é que a resposta do corpo, e é o resultado da forma com que realizamos qualquer tarefa ou se estamos num momento de tensão ou relaxamento.

Fisioterapia e Diagnóstico
Muitas dores, aparentemente inexplicáveis, proveem de uma má postura. O diagnóstico e tratamento deve considerar todas as alterações que o corpo evidencia durante a atividade ou movimento em que a pessoa sente dor.  Para um melhor entendimento, analisemos uma situação em que um corredor sente dor durante ou após a atividade, as perguntas para um correto diagnóstico e tratamento são: Qual o tipo de terreno que corre? É irregular ou liso? Tem obstáculos? Como os pés são posicionados no piso? Como é o alinhamento do corpo no momento de apoio dos pés ou até mesmo quando o membro inferior não está apoiado? Qual o tipo de tenis? Qual o seu estado ? Estas perguntas são formuladas enquanto se observa o corredor praticando a atividade.  Uma filmagem para que se tenha todas as respostas é fundamental, pois assim, é possível observar cada detalhe e movimento durante a prática do esporte, visando entender a biomecânica do movimento.

É claro que isso não é valido apenas para a prática do esporte, mas em todas as circunstâncias que nos movimentamos, forma e postura que sentamos ou até mesmo dormimos. Dessa forma, trataremos a causa e não apenas a conseqüência.
O neurofisiologista Sherrington já nos dizia que para cada movimento, há uma postura. Logo, como podemos realizar um bom movimento se não tivermos boa postura?

ANA CAMILA PETERNUCCI

Fisioterapeuta, Graduação em Fisioterapia pela Universidade de São Paulo (USP). Possui formação em Pilates e Terapia Manual. Experiência em diversas áreas de fisioterapia como a de neurologia infantil e adulto, ortopedia, reumatologia e esportes, saúde da mulher, UTI adulto, reabilitação pulmonar, geriatria, atenção primária e dermato-funcional. FISIOTERAPEUTA especialista em Reabilitação Esportiva.